Jubepar

Coração de Mãe

Sem Comentários

Coração de Mãe

Lucas 2.19 – Maria, porém, guardava todas essas coisas e sobre elas refletia em seu coração.

Toda mãe de verdade se preocupa com seu filho, é perda de tempo dizer para uma mãe não se preo­cupar. Maria com certeza não era uma mãe muito distante de qualquer outra na pequena Nazaré. Com toda certeza Maria buscava Jesus com seus olhos incansavelmente, imagino sempre uma mãe muito cuidadosa e também muito apaixonada por seu fi­lho.

O grande desafio de Maria não foi ter um bebê que foi concebido pelo Espírito Santo, mas foi ter um filho que tinha uma responsabilidade incalculá­vel por ela. Como não se preocupar por mais que Maria confiava em Deus? Como não temer o que es­tava por vir conhecendo e ouvindo profecias e es­peculações sobre o Messias que não eram tão sim­ples de se compreender. De um lado a confiança em Deus, do outro, o coração apaixonado de uma mãe que amou seu filho com intensidade.

Na medida que Jesus crescia como qualquer criança – em estatura, conhecimento e graça – Maria, como qualquer mãe – observava os passos. Imagino quantas vezes ela se sentiu insegura, sem ter a visão completa, sem saber exatamente como terminaria tudo isso. Jesus por outro lado, imagino eu, era um adolescente que surpreendia sua mãe constantemente com a mesma inteligência que levou os mestres a admirá-lo na via­gem a Jerusalém. Jesus, aos olhos de Maria, foi uma criança que recebeu adoração de reis, um menino admirado aos 12 anos por mestres da lei, um profeta que atraiu multidões e um condenado a morte que foi humilhado e escarnecido publicamente.

por: Marcio Tunala

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *