Jubepar

Autenticidade diária

Sem Comentários

Autenticidade diária

“Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” ( I Timóteo 4.12).

Timóteo era um pastor ainda jovem. Paulo valoriza a juventude dele, dando diretrizes capazes de transformar a inexperiência de Timóteo em um ministério eficiente: “Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os que creem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza” (I Tm 4.12).

A psicologia do desenvolvi- mento ignora os preconceitos sociais através dos quais encaramos as diferentes faixas etárias: crianças têm que ser imaturas; adolescentes sempre serão rebeldes; velhice é sinônimo de coisa ultrapassada; e jovens não merecem confiança por serem aventureiros… Daí a estranheza da declaração de Paulo: “Timóteo, não caia na armadilha dos preconceitos sociais. Se você levar a sério sua vocação e sua Bíblia, ninguém vai ter motivos para desprezá-lo, só porque você ainda é jovem!”.

Quando o Senhor nos salva e nos vocaciona para viver em comunhão com Ele, nunca nos é exigida uma certidão de idade. O que nos é exigida é autenticidade diária, quanto à nossa dependência de Deus. Este é o segredo de “ser um exemplo”. Quem depende do Cristo, na entrega que é o ter fé, na comunhão que brota do amor, na pureza que resulta do reconhecimento dos próprios erros, naturalmente se torna exemplo no “falar e na maneira de agir”. Mocidade não é um bem para ser desprezado, mas para ser investido na sabedoria amorável do Senhor

Olavo Feijó

Pastor, Professor de Psicologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *