Jubepar

Dia Internacional da Mulher

Sem Comentários

Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de Março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira guerra Mundial. As manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de  mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto. No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até a década de 1920. Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.

Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e somente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na atualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um caráter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre suas empregadas. Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adotado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres.

Mulher Uma obra prima é uma obra única. Incomparável. Assim é a mulher. Ser criado a partir da inspiração. Foram orquídeas, tulipas, rosas… Flores de todas as cores pintadas  minuciosamente pelos dedos de Deus. Ao som dos pássaros, cachoeiras que se juntavam ao vento em uma sinfonia. As árvores aplaudiam com seus galhos. Toda natureza colorida
de sol… E, nesse contexto, Deus fez, criou a sua obra prima. Nós, as mulheres! Sim, somos mais sensíveis, choramos mais, mas isso não nos torna mais fracas. Carregamos menos peso físico; contudo, guardamos valentemente, o peso das emoções. Gostamos de ser diferente, mudamos a cor dos cabelos e das unhas. Quem disse que temos que ser iguais todos os
dias. Somos livres para viver todas as cores criadas por Deus! Belas e fortes somos mães! Sansão com toda a sua força nunca concebeu, não conseguiria. Escritoras, cientistas, motoristas, pedreiras (e das boas), jornalistas, presidente, donas de casa… Sem deixar de ser mãe, conselheira, companheira, mediadora, mulher. Frágil? Não conheço gênero mais forte, mas não precisamos provar isso. Com a habilidade de enfeitar a vida, imagine o mundo só com homens! Mulher, você é linda! Você é única. Obra das mãos criadoras de todas as belezas, mimos à humanidade. Não mulher, você não existe apenas por causa de uma necessidade. Nós existimos por causa de uma inspiração. A respiração de Deus!

Fonte: lagoinha.com e wikipedia.org

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *